LIVROS ESCOLARES 2013/2014
 
>> Mais sobre

apresentações

carta d'orfeu

concertos

conferências

conversas

exposições

feiras

festas de natal

filme

informações

livros

livros escolares

música

palestras

poesia

seminários

tertúlias

viagens

todas as tags



Rue du Taciturne 43 Willem de Zwijgerstraat,
Bruxelles/Brussels 1000
Belgique/België
T/F: +32 (0)27350077
IBAN: BE79 426415631133 SWIFT: KREDBEBB
orfeu@skynet.be
> Arquivo

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Março 2012

Fevereiro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Novembro 2011

Outubro 2011

Setembro 2011

Junho 2011

Maio 2011

Abril 2011

Março 2011

Fevereiro 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Novembro 2010

Outubro 2010

Setembro 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Julho 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Novembro 2008

Setembro 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

>> Concebido por
blustamp, Comunicação Desenhada
 
 
Segunda-feira, 26 de Outubro de 2009
Apresentação do Livro

 

Uma Carta (inédita) do Japão de Wenceslau de Moraes
de
Jorge de Oliveira e Sousa
(Com textos de Pedro Baptista e de Eduardo Kol de Carvalho)
 
Partindo de uma carta de Wenceslau de Moraes a seu avô, o autor faz-nos uma apresentação da vida e pensamento do escritor, falecido em Tokushima …
Nessa madrugada do dia 1 de Julho de 1929 ter-se-ia levantado torturado pela sede e, tenteando na escuridão, tombara junto ao poço do casebre que habitava sozinho desde 1913. Ninguém acorrera junto do ancião solitário. Só no dia seguinte, quando as autoridades locais vieram constatar o sucedido, um vizinho marceneiro confessara ter ouvido gemidos vindos do pátio, mas não fizera caso. Assim findara o périplo de uma busca insatisfeita. Simbolicamente, o velho abatera-se junto de uma nascente que, como tantas outras, não lhe chegara a matar a sede. Wenceslau de Moraes perfazia 75 anos. Mas a sua voz inconfundível não cessaria de nos falar de um país encantado, através de um longo diálogo com a pátria que ele só habitava na memória. Vários livros, artigos avulsos e uma considerável correspondência são o testemunho desse diálogo."  
 
 
Jorge de Oliveira e Sousa é doutorado em Ciências Políticas e Sociais pela UKLovaina. Foi funcionário da ONU e da EU e Professor do Colégio da Europa, Bruges e é actualmente Docente do Colégio Europeu de Parma, Itália. É autor de: La Stratégie des Mots – Contribution à une Théorie Pragmatico-Sémantique de la Négociation (Ed. Paix et Conflit, Bruxelas, 1977); em colaboração com Paul M.G.Levy, Une Paix pour Notre Temps (Ed Duculot, 1975); Paideia, poemas seguidos de dez cartas de Vergílio Ferreira ao autor (Ed. Minerva, Lisboa, 2002); Iceberg-textèmes (ed Orfeu, Bruxelas, 2005); Equidistância - poemas  (Ed. autor, 2007); em colaboração, À Espera de Godinho – quando o futuro existia (Ed. Bizâncio, 2009). Vive actualmente entre Genebra, Bruxelas e o arquipélago de Turku (Finlândia).
 
Apresentação de José Morais
 
 

Sábado, 31 de Outubro de 2009,

às 18 horas

>> Mais sobre:
publicado por Orfeu às 18:04
| comentar
Carta d'Orfeu n° 39 - 2.10.2009

 

Informações
 
- Este domingo, a Orfeu participa na Klausmarathon no centro literário Passa Porta – homenagem a Hugo Klaus, que recebe o Prix Noble daquela instituição bruxelense (NL e FR). Das 12 às 18 Horas, leituras em muitas línguas com interpretação em NL e FR. Rue Dansaertstraat, 46, 1000 Bxl (em frente à Bolsa).
 
- Exposição de Paul de Gobert (que já expôs na Orfeu), Forêts, voyages intérieurs, na Association du Patrimoine Artistique, rue Charles Hansens, 7, 1000 BXL (perto do Sablon).
 
- Acordo com a Nova Lello para todos os serviços de tipografia. Contacte-nos.
 
Actividades
 
Amanhã, Sábado, 3 de Outubro de 2009, às 18 horas– Em mais uma edição da Orfeu, a estreia em livro de Paulo Pego (capa de Sónia Aniceto – cuja obra reproduzida estará exposta - e grafismo de Ricardo Almeida). Embora publicado, desde há muito, em muitas revistas, jornais, antologias, etc. inclusive na Bélgica e Brasil, À Senoite é o primeiro livro do Poeta. Graça Capinha, da Oficina de Poesia da Universidade de Coimbra fará a apresentação, coadjuvada pelas leituras de Cristina Néry e Rita Grácio, também da Oficina.
 
7 de Outubro de 2009, às 19 horas– Vai sendo já uma tradição, a (Comissão de Coordenação e Desenvolvimento Regional de Lisboa e Vale do Tejo) oferecer, na Orfeu, uma recepção aos seus parceiros europeus aquando da participação nos Open Days da Comissão Europeia. Programa e convites a atribuir pela CCDR.
 
17 de Outubro, sábado, às 18 horasTeresa Margarida Rebelo escreveu A Condessa d'Edla, essa cantora lírica que nunca chegou a triunfar no palco porque foi mulher do Rei consorte, D. Fernando II, e que nunca foi amada pelos portugueses. Viveu ostracizada e infeliz pela bela serra de Sintra, onde deixou um Chalé com o seu nome. Jorge Oliveira e Sousa apresentará a obra (que está em português) em francês, assim como a autora que, nessa língua, falará acerca das ligações de família entre os Saxe-Coburgo de Portugal e da Bélgica.
 
24 de Outubro, sábado, às 18 horas – Exposição das últimas obras de Milú Sacramento (pintura e joalharia). Ciclicamente, e após o habitual circuito entre Bruxelas, Lisboa e a sua Goa, a artista retorna à Orfeu para mostrar as suas novas propostas.
 
31 de Outubro, sábado, às 18 horas– No 80° aniversário da morte do escritor Wenceslau de Moraes, Jorge de Oliveira e Sousa apresenta-nos um estudo baseado numa carta para o seu avô. Uma Carta Inédita do Japão de Wenceslau de Moraes é o Caderno do Passeio Alegre n° 5 (ed. O Progresso da Foz, www.oprogressodafoz.com).
 
 
Mercredi, le 18 de novembre, à 18h30 – Présentation, par l'auteur, du livre Le Portugal bilingue. Histoire et droits politiques d'une minorité linguistique : la communauté mirandaise(Ed. Presses Universitaires de Rennes, pur-editions.fr). MIchel Caen
L'auteur est historien chercheur au Centre National de la Recherche Scientifique (FR). Il est spécialiste de l'Afrique contemporaine d'ancienne colonisation portugaise et des expériences des nouveaux États issus de la décolonisation, et en particulier des cinq PALOP (pays africains de langue officielle portugaise). En dehors de ce champ géopolitique, il travaille sur les problématiques identitaires et démocratie politique, entre citoyenneté et identité personnelle.
 
27 de Novembro, sexta-feira, pelas 18,30 horasApresentação do livro de poemas teu, à toi, tvůj, e., de Eduardo Vaz com ilustrações de Jiřina Nebesářová. Este livro, apresentado pela primeira vez em Praga, a 21 de Novembro passado, é uma edição trilingue (PT, FR e Checo) que estreia em volume um poeta, já divulgado por outras formas (edição de Orfeu).
 
5 de Dezembro, sábado, às 18 horas – Oriundo, por formação, das artes gráficas, Nuno Cruz trabalha na proximidade destas artes em expansão. Os seus astronautas pioneiros (da ex-URSS), a partir de fotografias dos anos 60, em grandes pinturas sobre papel impressionam, pelo realismo difuso mas sobretudo pelo ar translúcido da sua técnica. Exporá também desenhos a tinta-da-china.
 
19 de Dezembro, sábado, às 18 horas
Festa de natal, sorteio TAP e Amigos d'Orfeu
>> Mais sobre:
publicado por Orfeu às 17:46
| comentar
Quarta-feira, 21 de Outubro de 2009
CONVITE

 

Exposição
Milú Sacramento
 ou o informalismo como desejo
 
Há perto de trinta anos que acompanho as experiencias estéticas da minha amiga Milú. Lembro-me que tudo começou com a poesia que lhe apareceu inesperadamente.
 
Não me habituei a caminhar
Por caminhos estreitos
Herdei o voo das aves
Na dança que cristaliza a vida e a morte
 
Pouco tempo depois começou a fazer colagens que não eram ilustrações dos poemas, mas construíam outro sinal que tinha que ser lido separadamente. Muitas das colagens eram aves, plantas, pequenos insectos e cada folha poética era um objecto único em que se auto questionava…
(Depois) … começou a tentar encontrar artesãos que executassem os seus desenhos quer em madeiras exóticas, quer em prata e pedras semipreciosas. Acabou por encontrar na Índia, que visita com frequência, os artistas que melhor recriam os seus objectos e jóias.
No seu atelier em casa, a artista começou a trabalhar com terras mergulhadas em tintas e colas a que adicionava objectos encontrados conseguindo assim pinturas informais.
 O termo informal nasce do seu contexto sem forma visível. A pintura informal é auto-significante e desvaloriza o processo de criação. No geral, as pinturas caracterizam-se pelas pinceladas livre e pelas camadas espessas de tinta, com ou sem mistura de terras explorando as possibilidades expressivas da cor , da luz ou dos materiais não convencionais, isolados do seu contexto e revelado a estética pura na sua essência.
e grande beleza*
São estas terras informais que Milú Sacramento expõem nesta mostra. É beleza em estado puro.
 
(do texto do folheto a distribuir)
Victor Belém
Setembro de 2009
 
 

Sábado, 24 de Outubro de 2009,

às 18 horas

>> Mais sobre:
publicado por Orfeu às 16:30
| comentar
Quinta-feira, 15 de Outubro de 2009
CONVITE

 

ACTO EN DEFENSA DA LINGUA GALEGA
EN APOIO Á MANIFESTACION DE COMPOSTELA
 
 
DOMINGO 18 DE OUTUBRO, 12.00HS
 
 
LUGAR: Orfeu Livraria Galego-Portuguesa, Rue du Taciturne 43
 
O acto vai consistir na leitura por cada participante dun texto en galego que debe traer cadanseu para ler no acto (un poema, un texto en prosa, unha cantiga, unha frase, unha palabra....) 
·          

O acto é unha autoconvocatoria de galegos e galegas de Bruxelas aberta e plural a todas aquelas persoas que se solidaricen en defensa da nosa lingua.

>> Mais sobre:
publicado por Orfeu às 14:13
| comentar
Domingo, 11 de Outubro de 2009
Apresentação do Livro

 

A Condessa d'Edla
(Alêtheia editores: http://www.aletheia.pt)
de
Teresa Rebelo
 
Saberia Elise Friedericke Hensler, quando se apresentou a 15 de Abril de 1860 no Real Teatro de São Carlos, interpretando a personagem de pajem da ópera Um Baile de Máscaras, de Verdi, que o seu futuro ficaria para sempre unido ao de D. Fernando II, rei de Portugal?
Amada pelo monarca, ostracizada pela sociedade portuguesa, insultada pelos cronistas e esquecida pela história de Portugal, Elise Friederike Hensler recebeu o título de Condessa d’Edla no dia do seu casamento com D. Fernando II, a 10 de Junho de 1869.
Enigmática e plena de personalidade, a Condessa d’Edla acabaria por levar uma existência triste, sofrendo na solidão o facto de, por um lado, nunca ter alcançado o protagonismo que ambicionava nos palcos do Bel Canto, e por outro nunca ter sido verdadeiramente reconhecida como mulher do rei de Portugal.
Este é o retrato de uma vida plena de emoção que poderia ter inspirado o libretto de uma célebre ópera.
 
com apresentação de
Jorge de Oliveira e Sousa
 
A sessão será em francês. Serão abordados, para além da própria matéria do livro, temas como os convites a D. Fernando para ser monarca de outros países, as relações com seu primo Leopoldo de Saxe-Coburgo da Bélgica, etc.
 

Sábado, 17 de Outubro de 2009,

às 18 horas

>> Mais sobre:
publicado por Orfeu às 08:30
| comentar


Rue du Taciturne 43 Willem de Zwijgerstraat,
Bruxelles/Brussels 1000
Belgique/België
T/F: +32 (0)27350077
IBAN: BE79 426415631133 SWIFT: KREDBEBB
orfeu@skynet.be